Uma vez que se utiliza o design gráfico como ferramenta de acesso da pessoa com deficiência visual à literatura, o projeto assume características com alto valor de inclusão cultural e social, e elimina o isolamento que permeia a vida de tantas crianças com deficiência, na escola ou fora dela.

O sistema de impressão Braille.BR, idealizado por Wanda Gomes (patente requerida), permite que o livro possa ser utilizado por pessoas com deficiência visual ou visão normal. Alta qualidade na legibilidade e sem qualquer prejuízo da qualidade para nenhuma das partes.

No Brasil, Segundo dados do IBGE, CENSO 2010, 45.606.048 de brasileiros, 23,9% da população total, têm algum tipo de deficiência – visual, auditiva, motora e mental ou intelectual, 18,6% têm deficiência visual.

 

 

Coleção Adélia

Adélia Cozinheira, Adélia Esquecida e Adélia Sonhadora. São os títulos de uma coleção dedicada a todas as crianças, inclusive as com deficiência visual.

 

exposição Rosa Esteves
sesc sto. andré

Uma exposição de arte com estímulos aos 5 sentidos da percepção humana: olfato, paladar, visão, audição e tato.

cd47b234256649.56ca3f95a5827.jpg

Segall [Por]tátil

Publicação experimental que propõe, com base na obra de Lasar Segall, diálogos entre estímulos táteis e visuais, além de escritos e sonoros.

 

Ciência tátil
no butantan

Painéis para o Instituto – uma excelente ideia para a desmistificação da ciência e da figura do cientista. Aplicação de recursos táteis de acessibilidade.

MapaTatil-unicamp.jpg

mapa tátil Unicamp

Distribuído gratuitamente, o mapa tátil contribui para a orientação espacial de todas as pessoas que caminham pelo campus, indistintamente.

 
DSC_3538.JPG

exposição Rosa Esteves
sesc pinheiros 

Memórias Submersas ou Prisioneira da passagem - Sesc Pinheiros, 2014. Impactante transformação da fachada! Realizamos a produção executiva.

 

Prazer da leitura para as crianças, todas as crianças

 

Texto: Lia Zatz • Ilustrações: Luise Weiss • Design: Wanda Gomes

A Coleção Adélia é resultado da união da concepção literária da escritora Lia Zatz, os estudos e pesquisas da designer Wanda Gomes que sempre acreditou no design gráfico como ferramenta transformadora dos meios de acesso à cultura e à educação, e as ilustrações da artista plástica Luise Weiss.

 

 
DSC02177.JPG

Adélia Cozinheira  ·  Adélia Esquecida  ·  Adélia Sonhadora

Adélia* visa democratizar os meios de acesso a cultura e a mídia impressa de maneira geral, lançando mão de técnicas e processos de impressãodiferenciados (Braille.BR®  - patente requerida) que permitem que os mesmos livros possam ser lidos por crianças com ou sem necessidades especiais relativas a percepção visual.

O texto de Lia Zatz é simples, direto, e trata de forma objetiva os temas importantes do universo infantil em meio às suas atividades da vida diária, de sua autonomia e relacionamentos. As ilustrações de Luise Weiss não apenas ilustram mas caminham lado a lado com o texto, cumprindo de forma enriquecedora a função da informação, seja através do traço solto e diferenciado daquele comumente encontrado na literatura infantil, seja através da aplicação extremamente cuidadosa das cores.

 

Fugir do lugar comum:
uma viagem visual, tátil e sonora

 

SEGALL portátil é uma publicação experimental que propõe, com base na obra de Lasar Segall, diálogos entre estímulos táteis, visuais, escritos e sonoros. Neste projeto, compositores, designers, educadores, ilustrador e crítico de arte criam novas formas de leitura com base nas pinturas de Lasar Segall.

 

 

O projeto deste livro foi um dos maiores desafios que já recebemos, com concepção e coordenação de Elaine Fontana, Setor Educativo do Museu Lasar Segall, foi uma oportunidade de aproximar design e arte, deficiência visual e arte e, voltando ao começo: design e tecnologia gráfica para um resultado inclusivo.

O acesso às artes de maneira geral, carrega consigo uma grande complexidade de fatores socioculturais, que se acentua ainda mais quando se trata de um projeto cuja premissa principal é incluir a pessoa com deficiência visual.  

SegallPortatil-012-crop.jpg
 

Rota Acessível, a todos

 

A WG Produto adequou o design, aplicou o Braille.BR® e diferentes texturas para tornar o mapa impresso uma experiência tátil e inclusiva. Em formato bolso e distribuído gratuitamente, o projeto foi desenvolvido como objetivo de contribuir para a orientação espacial de todas as pessoas que caminham pelo campus, indistintamente.

O mapa tátil é material impresso que complementa o projeto Rota Acessível, fruto da parceria entre o Núcleo de Informática Aplicada à Educação - NIED - e a Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, ambos da Unicamp. Coordenadores: João Vilhete Viegas D’Abreu e Núbia Bernardi. 201

 
6abe48666e1b3a136c4d8c5823f9b059.jpg

Arte para os cinco sentidos

 

• Artista: Rosa Esteves
• Curadoria: Vera d’Horta
• Produção executiva, Design e Consultoria para inclusão e acessibilidade: WG Produto

Sesc Santo André – São Paulo (13/6 a 23/9/2018)

Uma exposição de arte com estímulos aos cinco sentidos da percepção humana:
olfato, paladar, visão, audição e tato.

 

 
20180617_135812Wanda.jpg

“Os processos criativos de Rosa Esteves lidam intimamente com a condição feminina em suas muitas variáveis – delicadeza, aparente fragilidade, fecundidade, o poder silencioso da metamorfose, a possibilidade de dar vida a outros seres, a capacidade de entrega e de subversão do pudor, o oferecimento do próprio corpo à causa despudorada da criação.” Vera d’Horta, curadora

 

Ciência tátil no Butantan

 

Instituto Butantan, LETA - Plataforma Zebrafish

• Responsável pela Plataforma Zebrafish: Dra. Monica Lopes-Ferreira (Pesquisadora e coordenadora do CeTICS - Centro de Toxinas, Resposta-Imune e Sinalização Celular)
• Design gráfico: Marina Ayra
• Design gráfico inclusivo: Wanda Gomes

Painel de 12 metros para a fachada externa do LETA (Laboratório Especial de Toxinologia Aplicada), que hoje faz parte do CeTICS (Centro de Pesquisa em Toxinas, Resposta Imune e Sinalização Celular).

O projeto é uma excelente iniciativa para a desmistificação da ciência e da figura do cientista. Aplicação de recursos táteis de acessibilidade que, além de incluir a pessoa com deficiência visual, agrega qualidade ao acabamento visual: todo o público cede ao impulso prazeroso da percepção tátil! O alto relevo, as texturas e a aplicação do Braille.BR ajudam a promover uma fruição igualitária independentemente de questões específicas da percepção visual do público. 

O LETA está localizado no Instituto Butantan, na av. Vital Brasil, 1500, Butantã, São Paulo.

Leia mais sobre o projeto aqui.

 
Zebrafish-WG-001.jpeg
Zebrafish-WG-002.jpeg
Zebrafish-WG-004.jpeg
Zebrafish-WG-003.jpeg
Zebrafish-WG-005.jpeg